Logo Portal
Cidades

*Demissão em massa dos servidores de Bayeux foi um ato desumano, diz Coronel Ardnildo

*Demissão em massa dos servidores de Bayeux foi um ato desumano, diz Coronel Ardnildo

20/04/2020 12h14
Por: Conexão Paraìba
Fonte: Conexão Paraíba
73

A declaração do Coronel foi nesse sábado (18), durante o programa Master Agora, com o jornalista David Maia. Em meio a pandemia, centenas de pessos foram desligados do quadro de servidores. Atitude que contrariou o pré-candidato pelo Solidariedade.

 

“Economizar recursos em cima de pais e mães de familias, tirando o pão da boca dessas pessoas em meio a uma crise generalizada, o prefeito cometeu um ato que contrariou toda a população. Além do pânico gerado, pelas informações distorcidas sobre o coronavirus, gerou-se um problema a mais, a instabiidade psicossocial na população.  Faltou habilidade e bom senso, cometeu um ato desumano”, disse o Coronel.

 

Sobre o cenário atual da cidade de Bayeux, na Grande João Pessoa, o pré-candidato ainda deixou clara, a preocupação com os problemas políticos e administrativos, que o município vive. Salários atrasados, gratificações não pagas e serviços essenciais com deficiência.

 

Em plena situação de estado de emergência e calamidade pública, justificado pela Pandemia do Coronavirus, mesmo com recursos assegurados, a população sofre pela falta de políticas públicas e ações humanitárias efetivas, direcionadas principalmente, para os mais necessitados.

 

Ao decorrer da conversa, o Coronel deu a receita para sair desses labirintos, já que possui uma grande experiência em gestões passadas. Ele foi secretário de Infraestrutura, de Segurança, de Planejamento e coordenador da Defesa Cívil e do DMTRAN em Bayeux, o que me possibilitou acumular experiências e habilidades. 

 

“E para sair dessa situação que Bayeux se encontra hoje, necessariamentente não é só dinheiro, que solucionará o problema. Precisamos ter boas articulações e habilidades para fazer composições, a nível local, estadual e nacional, focadas no compromisso e no bem comum da população, o que não aconteceu. Estão focando apenas em nteresses próprios ou de grupos. Este é um dos grandes problemas na política da cidade”, afirmou.

 

E finalizou ressaltando que, experiência, capacidade e honorabilidade são essenciais para um bom gestor.

 

Além de uma carreira na gestão da cidade em que nasceu e mora até hoje, o Coronel Ardnildo, reformado da Polícia Militar, teve várias funções na Briosa, que ajudaram no crescimento da corporação.

 

Gerenciou a tesouraria-geral, foi diretor de recursos humanos, fundou o Centro de Educação, criou o sistema de ensino da PM e teve participação decisiva no processo de inclusão das mulheres na Polícia.